Como o Autônomo pode manter sua área financeira organizada?

O autônomo está presente! Já são mais de 13 milhões de profissionais autônomos no Brasil, segundo o IBGE, pessoas que resolveram trabalhar por conta própria para obter seu salário.
As principais características dessa forma de trabalho são a flexibilidade e autonomia, mas o que poucas pessoas percebem também é a falta de uma renda fixa que pode ser bem difícil para o profissional, exigindo um planejamento financeiro eficiente para se organizar.
Mesmo que as despesas mensais sejam semelhantes a de um funcionário assalariado, os recebimentos frequentemente não são, e por isso é preciso planejar suas finanças de uma maneira diferente, contando com imprevistos e com a falta de benefícios.
Mas não se preocupe porque hoje você vai descobrir como organizar as finanças de maneira correta para não passar por apuros financeiros.

Tenha um orçamento para organizar as finanças

Como autônomo você não tem controle sobre sua receita, e isso torna ainda mais importante o controle dos gastos. Crie uma planilha com a projeção de fluxo de caixa para os 12 meses a cada início de ano, fazendo uma previsão de todos os gastos durante esse período.
Isso ajuda a identificar de uma forma mais realista os valores necessários mensais para cobrir as despesas e também permite encontrar possibilidades de economia.
É importante anotar, ao longo dos dias, todos os gastos realizados, para atualizar a planilha e assim identificar onde são realizados os maiores gastos, possibilitando adequações dos gastos.

Mantenha um fundo de emergência

Os profissionais autônomos recebem por trabalho realizado, e por isso um mês pode ser extremamente produtivo enquanto outro pode ter rendimentos mais baixos e até mesmo insuficientes.
Essa incerteza faz algumas pessoas se tornarem inadimplentes com seus compromissos fixos e justamente por isso é importante que você se prepare para os tempos de “vacas magras”.
A melhor maneira de se precaver para esses imprevistos é manter um fundo de reserva, como uma poupança, com valor suficiente para pagar suas despesas por, pelo menos, 6 meses.
Sempre que o dinheiro for utilizado é preciso repor o valor após passar pelo período de dificuldades.

Não misture gastos pessoais com os gastos da empresa

Essa dica é o erro número um dos profissionais autônomos. A forma correta de organizar as finanças é separar o dinheiro da empresa do dinheiro que será utilizado para pagar as contas pessoais.
O ideal é que a “empresa” pague um salário para o profissional, e este pague suas despesas pessoais com esse valor recebido. Dessa forma a empresa sempre terá recursos para fazer algum investimento necessário, e você poderá administrar os recursos de maneira separada.
Crie planilhas separadas para organizar os recursos financeiros pessoais e empresariais. Essa organização é muito importante para a saúde financeira, tanto pessoal quanto profissional, e é essencial na hora de prestar contas para a Receita Federal.

Prepare−se para os impostos

Como autônomo você deve se enquadrar em algum regime tributário. Muitas vezes o profissional de inscreve como Microempreendedor Individual, e dessa forma basta pagar uma taxa mensal, que custa em torno de R$ 50,00.
Mas quem opta pelo SIMPLES, deve contratar um contador para manter sua situação regularizada. Existem alguns tipos de deduções fiscais possíveis no caso de freelancers que ajudam a reduzir os impostos devidos.

Planeje suas férias

O profissional autônomo não recebe férias ou 13º salário e por isso deve planejar suas contas considerando esses períodos. Muitos profissionais preferem tirar menos dias de férias, ou mesmo dividir em mais de um período do ano para amenizar as perdas de recursos.
O importante é guardar dinheiro tanto para compensar os dias sem trabalhar e os gastos extras das férias, por exemplo, e também os gastos a mais com as festas de final de ano. Esse planejamento deve ser realizado durante o ano todo, criando reservas específicas para esse fim.

Planeje sua aposentadoria

Se você é autônomo é sua responsabilidade o recolhimento obrigatório para o INSS. Além disso, muitos profissionais escolhem contribuir para planos de previdência privada para complementar a renda no futuro.
Se você for uma pessoa controlada, pode investir em opções com rentabilidade melhor do que a previdência, mas caso tenha dificuldade em guardar o dinheiro, essa pode ser a melhor opção já que o valor é debitado automaticamente da conta e, normalmente, oferece certa dificuldade para resgate.
Não importa qual será a forma, mas o importante é planejar sua aposentadoria.
As dificuldades são muitas para administrar as finanças de um profissional autônomo, mas manter−se organizado vai ajudar você a permanecer com as contas em dia.

Deixe uma resposta