fluxo de caixa fluxo de caixa

Veja como manter um bom fluxo de caixa nas Micro e Pequenas Empresas

6 minutos para ler

O fluxo de caixa é uma ferramenta de extrema importância para todo o tipo de negócio. Entretanto, ele tem uma relevância ainda maior para os empreendimentos considerados como micro ou pequenas empresas, principalmente, devido à pouca margem de ganho que é obtido nesses negócios.

Basicamente, trata-se de uma ferramenta gerencial, que tem por objetivo ajudar o gestor a entender melhor a saúde financeira da empresa. Assim, controlar todas as suas movimentações de entrada e saída de recursos.

Neste artigo, mostraremos algumas dicas práticas e simples para que você consiga manter um bom fluxo de caixa em seu negócio. Acompanhe!

Elabore um bom planejamento financeiro

O primeiro passo para se conseguir elaborar um bom fluxo de caixa para a sua empresa é ter um planejamento financeiro bem desenvolvido. A verdade é que um complementa o outro.

Nesse contexto, o seu planejamento financeiro servirá como base para a consolidação do fluxo de caixa. Além disso, com base nos resultados obtidos por essa ferramenta, será possível fomentar e replanejar todas as finanças do seu negócio, tendo em vista a avaliação das entradas e saídas de recursos em seu estabelecimento.

Evite gastos desnecessários

Outro ponto importante, não apenas para a gestão de fluxo de caixa, mas para tudo que envolve as finanças do seu negócio, é evitar gastos desnecessários. Algumas despesas podem ser totalmente dirimidas quando o gestor faz um bom controle.

O grande problema é que muitos desses gastos não são percebidos por um empresário de forma simples. Alguns deles, inclusive, acabam cometendo alguns erros sem perceber e que geram despesas que poderiam ser totalmente suprimidas. Quando isso ocorre, toda a gestão financeira fica prejudicada, refletindo negativamente em seu fluxo de caixa.

Tenha uma ampla visão da situação financeira da empresa

Para evitar problemas como o que mencionamos anteriormente, é fundamental que você tenha uma visão ampla da situação financeira do seu empreendimento. Periodicamente, é necessário realizar análises das suas contas, envolvendo sempre as receitas e despesas que já foram realizadas, bem como as que ainda serão.

Isso possibilitará ao gestor uma análise mais aprofundada da efetiva situação financeira do seu negócio, possibilitando que ele tome decisões mais certeiras. Além disso, permitirá encontrar possíveis problemas ou gargalos que estejam drenando seu dinheiro e prejudicando as finanças do empreendimento.

Desenvolver essa habilidade de olhar para o seu negócio e saber identificar possíveis pontos falhos também vai gerar a possibilidade de o gestor conseguir identificar algumas oportunidades que não poderiam ser vistas, caso ele não executasse esse tipo de análise.

Desenvolva projetos pensando no futuro

Além de conseguir identificar o que está acontecendo no momento presente com o seu negócio, também é fundamental que você pense no futuro da empresa. Seu empreendimento deve ter sido criado a partir do fundamento de que não teria data para chegar ao fim. Nesse sentido, não há como pensar nessa hipótese, sem pensar no futuro.

Esse planejamento impactará diretamente seu fluxo de caixa. Afinal, a rotina diária, as análises e as ações que visam a potencializar o seu departamento financeiro refletirão diretamente nos planos futuros do seu negócio.

Ao elaborar esse tipo de previsão, você deverá ser totalmente realista. Utilize os dados gerados em seu controle de fluxo de caixa para saber, de fato, em quais patamares é possível chegar em determinado período.

A definição de tempo também é importante nesse tipo de planejamento. Ou seja, é necessário determinar em qual nível a empresa estará nos próximos 12, 24 meses, cinco anos ou daqui a uma década. Tudo isso é fundamental para que seja possível mensurar resultados e aplicar melhorias.

Saiba classificar receitas e gastos

Outro ponto importante na definição de um fluxo de caixa é saber classificar corretamente as receitas e gastos. Quanto à primeira, é bem simples: afinal, para toda a venda ou prestação de serviços que sua empresa realizar será emitida uma nota fiscal de faturamento e o valor recebido será classificado como receita.

Quanto aos gastos, isso pode variar bastante. Todo o dinheiro utilizado para cobrir a operação da sua empresa é considerado como custo. Por exemplo: a compra de produtos para revenda, o pessoal utilizado no processo, bem como os outros materiais e insumos necessários para prestação de serviços ou comercialização de bens.

Os custos são essenciais para que a sua empresa gere receitas. Sem eles, ela não consegue girar seus produtos ou serviços. Já as despesas são valores pagos em outras partes do negócio, que também são essenciais, mas não têm relação com a operação em si. Um exemplo clássico disso é o gasto com pessoal administrativo.

É fundamental que o seu fluxo de caixa tenha esses dois elementos muito bem separados. Isso porque, caso seja necessário fazer alguma redução de gastos, é importante ter a clara noção se ele se trata de um custo ou despesa.

Cortar custos pode significar reduzir a quantidade e a qualidade de suas operações. Sendo assim, é um processo que precisa ser executado com o máximo de cuidado, sempre verificando os impactos que essa redução pode gerar em suas receitas.

Separe suas contas em categorias

Por fim, depois de aprender a separar os custos de despesas, é importante dividir cada um deles em outras categorias. Isso facilitará a inclusão desses dados no seu controle de fluxo de caixa e, principalmente, possibilitará uma melhor análise dessa ferramenta. Separar essas informações significa identificar de onde veio cada receita, bem como a origem e a necessidade de cada um dos gastos ocorridos em um período.

Seguindo esses passos, além de conseguir elaborar um bom fluxo de caixa para a sua pequena ou média empresa, também poderá utilizar essa ferramenta de forma otimizada. Isso vai possibilitar uma visualização em tempo real da situação financeira do seu negócio, das hipóteses e das oportunidades que podem surgir para o futuro.

Gostou das informações que passamos neste artigo? Então, compartilhe o post em suas redes sociais. Fazendo isso, muitos outros empreendedores poderão ter acesso a essas informações para implementar em seus empreendimentos.

Posts relacionados

Deixe um comentário