gestão financeira empresarial gestão financeira empresarial

Tudo o que você precisa saber sobre gestão financeira empresarial

11 minutos para ler

A gestão financeira empresarial é um procedimento que tem por objetivo principal controlar as contas a receber e a pagar do negócio, de modo que ele possa honrar com todos os seus compromissos financeiros assumidos e garantindo a ele o aporte de recursos necessário para continuar suas operações.

Esse conceito serve como base para todo e qualquer empresário que pretenda ver o seu negócio crescer e se desenvolver ao longo do tempo, gerando lucros de forma sólida e contínua e proporcionando rentabilidade aos investimentos realizados.

Quer saber um pouco mais sobre como funciona a gestão financeira empresarial e, principalmente, como implementar esse conceito em seu empreendimento? Então, acompanhe-nos nesta leitura!

A importância da gestão financeira empresarial

A gestão financeira empresarial é um processo que organiza toda a parte que trabalha com os recursos gerados ou captados por um negócio. Ela executa uma série de processos que têm por objetivo organizar as finanças da empresa, evitando que ela fique sem recursos financeiros suficientes para manter suas atividades.

Além disso, por meio da gestão financeira, é possível avaliar como o dinheiro vem sendo utilizado, de modo a evitar que ocorram desvios ou identificar gargalos que possam prejudicar a saúde financeira do negócio.

Por meio de ferramentas como o controle de fluxo de caixa, pagamentos e recebimentos e, até mesmo, com o gerenciamento de estoque, a empresa consegue controlar toda a sua atividade, alocando recursos de forma otimizada e aproveitando tudo o que eles podem proporcionar — sempre com vistas ao lucro do negócio.

A função do capital de giro

O capital de giro pode ser definido, basicamente, como o recurso de que a empresa necessita para funcionar em toda a sua capacidade. Isso significa que, sem ele, o negócio não consegue desenvolver sua atividade e, consequentemente, acaba não faturando.

O resultado disso é muito simples de ser percebido: em pouco tempo, o empreendimento pode vir a sofrer com problemas financeiros, que ficam mais severos à medida que o tempo vai passando, podendo levá-lo à falência total.

O capital de giro é objeto de trabalho da gestão financeira. Por meio das estratégias que mencionaremos, essa atividade realiza o controle de contas a pagar e a receber com o objetivo de projetar a necessidade ou sobra de capital para o próximo período ou para ser utilizado por outra atividade.

Dessa forma, o gestor tem uma visão mais ampla das necessidades do seu negócio e pode, a partir de então, adotar todas as medidas necessárias para garantir que o departamento financeiro não fique sem capital para fomentar suas atividades. Assim, também é possível verificar a necessidade de obtenção de capital de giro com terceiros antes que o dinheiro comece a faltar, evitando cair em empréstimos ou financiamentos caros.

Assim, é possível, por exemplo, optar pela antecipação de recebíveis e outras modalidades que exigem garantia, contraindo custos financeiros baixos e que não prejudiquem ainda mais as finanças da sua empresa.

A importância da liquidez

A liquidez, basicamente, é a capacidade que uma empresa tem de transformar um determinado ativo, que pode ser um produto ou serviço, em dinheiro. A gestão financeira cuida desse tipo de conceito, pois é por meio desse processo que as receitas são geradas.

Um negócio que não consegue gerar liquidez — ou seja, transformar seus produtos em dinheiro e vendas — não consegue sobreviver por muito tempo no mercado. Portanto, quando se trata desse assunto, uma série de dúvidas surgem, mas a principal, com certeza, é “como potencializar a liquidez do meu negócio?”.

Responder a essa pergunta não é tão simples; afinal, vários são os fatores que interferem nos preços dos seus produtos e serviços. Entretanto, a gestão financeira pode auxiliar no processo de analisar custos, preços e demais fatores que podem estar prejudicando a saída desses itens do seu estabelecimento.

A execução de uma boa gestão financeira

Não existem segredos para executar uma boa gestão financeira. Inicialmente, você precisará contar com o apoio da tecnologia — discorreremos um pouco mais sobre ela logo mais.

Em segundo lugar, é preciso definir uma série de critérios e procedimentos de análise que visam reestruturar todo o seu departamento financeiro, transformando-o em um ambiente que fornece muita informação e controle para a gestão da empresa.

A gestão financeira também demanda pessoas especializadas. Não adianta ter a melhor estrutura tecnológica e física sem profissionais qualificados para operá-la. Atualmente, além da possibilidade de contratar esses colaboradores, também é possível terceirizar esse departamento para uma empresa especializada.

Nesses casos, é possível obter todos os benefícios valiosíssimos da gestão financeira e ter mais tempo para focar atividades que, efetivamente, proporcionarão ganhos reais para o seu negócio. Além disso, os custos da terceirização, geralmente, são consideravelmente menores que montar um setor com os profissionais necessários.

Dicas de gestão financeira empresarial para o dia a dia

Agora que você já entendeu o que é a gestão financeira e como ela pode ser crucial para a manutenção da sua empresa, mostraremos algumas dicas para implementar esse processo e adaptá-lo ao dia a dia do seu empreendimento. Acompanhe!

Faça uma boa gestão de custos

O primeiro passo é executar uma boa e eficaz gestão de custos. Sobre esse ponto, muitas pessoas podem ter dúvidas. Alguns acreditam que basta eliminar esse tipo de gasto e tudo será resolvido. No entanto, quem faz isso sem o devido planejamento e gerenciamento pode entrar em um problema de que dificilmente conseguirá sair.

Os custos de um empreendimento são necessários para que ele possa desempenhar suas atividades. Por exemplo, não há como uma empresa produzir ou vender uma quantidade x de produtos sem ter custos com isso.

Portanto, quando fala em diminuir gastos, você está, basicamente, correndo um grande risco de fazer sua empresa perder o seu potencial de geração de receitas. Por outro lado, de fato, existem alguns custos que podem e devem ser mensurados, reduzidos e, caso possível, eliminados.

Entretanto, isso é feito somente depois de muita análise e gerenciamento, para evitar prejuízo à lucratividade do negócio.

Powered by Rock Convert

Utilize ferramentas de gestão

Utilizar uma boa ferramenta de gestão também é crucial. Não há como manter esse processo sem contar com o apoio da tecnologia, que mencionaremos com detalhes mais adiante ainda neste artigo.

Implemente um bom planejamento estratégico

O planejamento estratégico pode ser entendido como um conjunto de práticas executadas sistematicamente que utilizam processos metodológicos para definir metas e objetivos de uma empresa, bem como investimentos e outras mobilizações de recursos.

Portanto, é fundamental que você desenvolva esse conceito em seu empreendimento. Ele servirá como retaguarda para que suas decisões sejam tomadas, e as metas e objetivos, traçados de forma mais clara tanto para o gestor da empresa quanto para os que executarão suas atividades, buscando atingir cada uma no prazo estabelecido.

Afinal, o planejamento estratégico resolve um problema de muitos empresários, que é a definição dessas metas e objetivos. Inicialmente, você precisa saber que eles precisam obedecer a algumas regras.

Primeiro, devem ter data para se concretizar. Isso não significa que, necessariamente, a meta ou objetivo devem estar cumpridos em determinada data, mas que é necessário fazer o máximo de esforço isso. Em seguida, é fundamental que elas sejam possíveis de ser atingidas e tenham um real valor para a entidade.

Crie e gerencie o seu orçamento

Outro passo muito importante é a criação e o gerenciamento de um bom orçamento. Nesse documento, devem constar todos os gastos que ocorrerão na empresa nos próximos meses e como serão pagos. Geralmente, o orçamento é elaborado ao final de cada ano e servirá como base para o ano seguinte

Isso significa que, quando um ano estiver acabando, a empresa deverá traçar o orçamento para o seguinte, de modo a já iniciar esse novo período com o documento devidamente elaborado. Afinal, ele servirá como base para os gastos que serão realizados durante o ano e, principalmente, será objeto de análise constante da gestão financeira.

Crie reservas para emergências

Também é fundamental criar reservas para suprir emergências que venham a surgir. Por mais que a gestão financeira previna a empresa de vários problemas, existem momentos em que não é possível prever certas movimentações, como crises financeiras, mercado esfriando, bolhas na sua atividade, entre outras questões.

Quando isso acontece, é fundamental que você possa contar com uma boa quantia, capaz de manter sua empresa ativa mesmo ante a dificuldade que está enfrentando. Assim, ela conseguirá passar pelo momento complicado e retornará mais forte e com o mesmo potencial de geração de resultados.

Isso, inclusive, pode ser um grande diferencial competitivo, pois muitos empresários esquecem desse detalhe e, quando passam por dificuldades, não dão conta de manter suas empresas ativas. Esse empreendedor dificilmente conseguirá continuar atuando, deixando mais espaço para aqueles que souberam se precaver.

Como dizem por aí: “o seguro morreu de velhice”. Apesar de esse ditado popular estar na boca das pessoas mais desconfiadas, ele pode ser perfeitamente aplicado aos negócios de modo geral.

Registre todas as movimentações

Outro passo fundamental é registrar todas as movimentações executadas em seu estabelecimento, mesmo as que têm valores baixos. Pagamentos e recebimentos de valores inferiores, geralmente, são negligenciados com muita facilidade. Entretanto, fazer isso pode prejudicar a gestão financeira do seu negócio.

Portanto, você precisa registrar cada centavo que entra ou sai do seu estabelecimento, mesmo os de maior ou menor valor. É com base nesses dados que a gestão financeira poderá gerar informações e indicadores financeiros adequados, que servirão para tomar decisões mais precisas e detalhadas, capazes de realmente contribuir para o futuro do negócio.

Controle a inadimplência

Por fim, é fundamental que você controle a inadimplência do seu negócio. Esse problema é extremamente prejudicial para um empreendimento, podendo gerar prejuízos gigantescos caso não seja contido. Ainda, praticamente todo empresário tem certas dificuldades para receber de alguns clientes.

Quando você faz uma venda a prazo, está, basicamente, deixando de receber por um produto cujos gastos necessários para produção já foram pagos por você. Nesse sentido, ao deixar de receber o valor da sua respectiva venda, a empresa é colocada em grande risco financeiro.

Para resolver essa questão ou, pelo menos, amenizar os seus impactos, você pode tomar algumas atitudes — uma delas, por exemplo, é reduzir taxas de juros e multas, para facilitar o recebimento dos clientes mais devedores. Alternativamente, oferecer parcelamento para que os inadimplentes possam regularizar a situação é uma boa possibilidade.

Além disso, é importante fazer um bom cadastro de inadimplentes e evitar oferecer crédito novamente para clientes que atrasam suas contas. Outra estratégia é fazer um bom processo de análise, que proporcione mais segurança e garantias para a empresa na hora de fornecer crédito para que certos clientes fechem negócio.

A tecnologia e sua contribuição para a gestão financeira

A tecnologia é uma das principais aliadas da gestão financeira. Sem ela, seria impossível conquistar o altíssimo nível de gerenciamento e geração de informações com que essa atividade conta nos dias de hoje.

Atualmente, existem ferramentas avançadas que garantem que todo o gerenciamento da sua empresa seja feito de forma otimizada, evitando, inclusive, erros de digitação e no lançamento de informações.

Assim, ela possibilita aos profissionais desse departamento trabalhar de forma integrada, ganhando tempo e gerando informações altamente confiáveis em apenas alguns segundos, com poucos cliques.

Essas ferramentas possibilitam ao empresário a chance de acompanhar a gestão financeira do seu negócio mais de perto, especialmente se essa área da empresa for terceirizada ou, até mesmo, no caso de gestores que não conseguem ficar totalmente focados nesse setor, por, como a maioria, precisarem estar presentes e se preocupar com outras questões, como a gestão de pessoas, vendas, relacionamento com clientes e fornecedores etc.

Agora que você sabe tudo de que precisa para implementar a gestão financeira empresarial em um negócio, não perca mais tempo. Comece a reunir todas as ferramentas, informações e pessoal necessário e adote essas estratégias em seu empreendimento. Os resultados surgirão rapidamente e deixarão você impressionado.

Gostou deste artigo? Quer ficar por dentro das novidades que postarmos em nosso site? Então, convidamos você a assinar a nossa newsletter. Assim, todas as vezes que publicarmos um novo conteúdo, enviaremos um e-mail avisando. Até mais!

Posts relacionados

Deixe um comentário