Minha empresa está com dívidas, como negociar?

Como negociar as dívidas da empresa? Ter dívidas no mercado é algo muito comum entre os empreendedores, sejam eles de microempresas ou de grande porte. Independente da facilidade de adquirir dívidas, concordamos que as mesmas não são bom negócio e não fazem bem para o crescimento de uma firma.
Porém, tendo como fato de que o cenário econômico atual, no Brasil, não ajuda na reabilitação de uma empresa falida, é de grande importância que você, como empreendedor, aja rápido, para que essa regra possa virar uma exceção em seu caso.
Para que isso ocorra, de forma eficaz, é necessário tomar algumas providências, como por exemplo, renegociar as dívidas que tanto atrapalham no crescimento da empresa. A seguir, abordaremos algumas dicas infalíveis que, com o tempo necessário, poderão reerguer o seu empreendimento, para que você volte ao mercado de trabalho ainda mais revigorado.

A melhor saída é negociar a sua dívida

Antes mesmo d apresentarmos os melhores caminhos de renegociação, vamos lhe apresentar o porquê negociar seus débitos deve ser colocado em prática. Assim, antes de sair pagando suas contas, e gastar fortunas exercendo esse pagamento, você deve estar ciente de nunca se deve pagar a mais do que você já está devendo. Não é aconselhável, também, que você pague à vista e comprometa-se com aquilo que você sabe que poderá cumprir.
Por quê? Bom, antes de pagar totalmente sua dívida, você (ou o seu credor) deve conhecer a lei que rege os valores que deve pagar. Por quê? Pois há no mercado muitos problemas relacionados a roubos. Quando uma empresa não conhece seus direitos, acaba pagando um preço exorbitantemente alto, que não deveria, pois quem lhe cobra aproveita da situação.
Outro problema que deve ser evitado, é pagando suas dívidas SEMPRE em parcelas. Mesmo que sejam cobrados alguns juros (que você mesmo pode propor), pagar suas dívidas à vista pode ser um dos maiores erros das empresas. O que nos leva a outro critério importante, que é oferecer uma negociação, apenas com valores reais. Valores que você sabe que poderá pagar. Assim, você evitará outra dívida exorbitante, com pouca certeza de quitação.
Sabendo dessas preliminares, vamos ao que interessa, que são as dicas de renegociação das dívidas.

Entenda o que é a negociação de dívidas

Para haver uma negociação é necessário, obviamente, uma dívida. Quando uma empresa não consegue quitar suas dívidas, a mesma será notificada, através de uma carta. Nesta, haverá um aviso, dizendo que o nome da firma será incluído em uma lista de inadimplentes e devedores. Basicamente é a lista que acusa, numa pesquisa, se seu nome está ou não sujo.
Quando uma empresa decide pagar seus saldos atrasados, sejam eles de quaisquer nichos, como cartão de crédito, empréstimo, cheques ou títulos atrasados, por exemplo, o cliente (no caso, a empresa) deve negociar o valor ou forma de pagamento de sua dívida. Algumas formas de efetuar essa negociação são através de variados meios que logo vamos apresentar.
Uma das formas é através da negociação direta dos valores com o cobrador. A empresa pode repassar essa dívida para alguma outra empresa contratada. Literalmente terceirizando a dívida. Empresas que podem efetuar essa negociação são, conforme a lei, os bancos que prestam, exclusivamente, esses serviços e ajudam no pagamento e quitação da dívida. O banco, poderá reduzir esses custos mensais, com uma taxa ainda diminuta e com um prazo maior para quitação.

Dica 1 – Analise e seja realista com os valores

Como mencionamos acima, criar uma renegociação para quitar dívidas de nada adianta se você propor valores ou prazos não razoáveis. Por isso, quando for negociar a dívida e estiver na mesa prestes a assinar o contrato, seja realista consigo e se pergunte se poderá cumprir aquele contrato.
Aceite a proposta apenas depois de calcular todos os meios possíveis de pagar aquele débito. Calcule sua renda mensal, veja o que poderá tirar d suas dispensas e o que deixará de usufruir caso assinar aquele papel. Se possível, tenha tudo planejado, referente aos seus gastos, e não gaste mais eu o necessário, para que, caso houver algum imprevisto, ainda sim, consiga quitar sua dívida.

Dica 2 – Pesquise outras alternativas

Não se limite em apenas aceitar a nova proposta. Pesquise, vá ao credor, ao advogado e descubra quais os outros meios que você poderá negociar essa dívida. Pesquise as taxas e juros possíveis, pesquise prazos disponíveis, pesquise leis e deveres. Pesquise as instituições disponíveis para ajudar em sua situação, saiba de todas as opções. Por quê? Para você ter opções. É uma pressão muito grande quando você tem apenas uma alternativa e pode apenas escolher aquele meio, que aliás, poderá não te ajudar.
Conhecendo leis, você poderá ainda saber todas as diretrizes que deve seguir e saber se o banco estará ou não passando a perna em você. Caso a instituição não esteja de acordo com as opções que você sabe que pode ter, por direito, procure outra e faça sua negociação onde se sentir confiante, que vai pagar sua dívida da melhor forma possível.

Saiba negociar e chegue num acordo

Como comentamos acima, você não é exatamente obrigado a aceitar qualquer acordo. Quando você conhece seus direitos e meios para resolver seu problema, você abre um amplo caminho para seguir. Você pode oferecer a negociação, assim como eles, e pode recusar. Por isso, não se acanhe em participar das reuniões e decisões que essa negociação demandará.
Do mesmo modo, saiba conversar com seu credor. Ele, assim como você, quer resolver o problema, por isso, respeitosamente e com educação, converse com o mesmo e mostre que você quer quitar suas dívidas, porém de uma forma diferente que do início. Não se intimide com ele, quando se mostrar contrário as novas propostas, pois, como sabemos, você possui diretos, assim como ele.
Gostou de nosso material e gostaria de aprender um pouco mais sobre como quitar dívidas e fazer negociações para que as mesmas sejam resolvidas? Fale conosco! Não esqueça de deixar seu feedback e suas dúvidas, para podermos acrescentar e melhorar nosso material. Até mais!

Deixe uma resposta