Qual é o melhor momento para recorrer a uma Factoring?

8 minutos para ler

Neste artigo, vamos abordar um assunto muito debatido no mercado financeiro e em administração de empresas, o factoring. Você, empreendedor, sabe quando é recomendável optar por esse recurso?

O factoring é utilizado, basicamente, para equilibrar o caixa da empresa, oferecendo capital de giro. Sendo assim, esse tema se tornou muito visado e discutido por micro e pequenos empreendedores.

Por isso, vamos conversar um pouco sobre os tipos de factoring e quando utilizá-los sem trazer prejuízos para a sua empresa.

Afinal, o que é factoring?

Antes de conversarmos sobre quando utilizar, gostaríamos de fazer uma pergunta: você sabe mesmo o que é factoring? Primeiramente, é necessário entender que esse conceito não é classificado como uma atividade financeira. Portanto, não é um empréstimo bancário ou de terceiros, nem é uma intermediação financeira, adiantamento, desconto ou operação de crédito.

Dessa forma, o factoring é um recurso praticado por empresas que compram os direitos de créditos com a prestação de serviços. Ou seja, é um tipo de transação em que uma determinada empresa de créditos vende faturas a receber a uma empresa de factoring. Por exemplo, a empresa de cartão de créditos (Visa ou Mastercard) vende os valores que tem a receber para um factoring.

Portanto, as empresas de factoring trabalham exclusivamente com contas a receber. Pois elas administram os créditos de vendas a prazo de outras empresas e os devolvem com a cobrança de taxas por esse serviço.

Desse modo, o factoring nunca deve ser classificado como um empréstimo. Isso porque as empresas que buscam por esses recursos vão receber um dinheiro que já é seu, só que antes do prazo esperado.

Geralmente, o factoring é mais utilizado para micro, pequenas e médias empresas que necessitam de uma tomada de decisão mais ágil e eficaz, juntamente ao crescimento de capital de giro, aumentando o poder de negociação.

Podemos destacar que existem alguns tipos de factoring. Leia atentamente e descubra qual é o melhor para a sua empresa.

Quais são os tipos de factoring?

Entender um conceito complexo como esse é de extrema importância. Afinal, não há como imaginar utilizar uma ferramenta, principalmente, aquelas que mexem com a parte financeira da empresa, sem compreender, a fundo, o que isso significa e os impactos que ela gera.

Entretanto, também é importante conhecer os tipos de factoring que existem. Cada um deles servirá para um objetivo distinto em sua empresa. Eles têm características únicas, que devem embasar a sua decisão pela contratação.

Neste tópico, destacamos alguns tipos de factoring mais conhecidos. Continue nos acompanhando e descubra qual o melhor para a sua empresa.

Convencional

O factoring convencional, como o próprio nome já sugere, é a modalidade mais procurada e utilizada no Brasil atualmente. Nesse formato, as negociações se concretizam por meio de contratos de fomento mercantil. Assim, isso se formaliza com a aquisição de direitos creditórios das empresas fomentadas.

Em outras palavras, no factoring convencional ocorre a compra de direitos creditórios das empresas que buscam por esse fomento, por meio de um contrato de fomento mercantil. Assim, no convencional, não acontece o adiantamento de valores, pois o pagamento é realizado à vista pela sociedade de fomento mercantil.

Maturity

Outro dos tipos de factoring que você pode escolher é o Maturity. Nesse caso, a atividade da empresa fomentadora se resumirá em administrar as contas que ela tem a receber da fomentada. Nesse sentido, o empreendimento que detém o crédito não precisa se preocupar com a cobrança.

A modalidade Maturity de factoring administra as contas a receber da empresa que solicita o fomento, diminuindo o tempo que ela gastaria com a cobrança de seus clientes. Sendo assim, os títulos de crédito são remetidos pela empresa-cliente à sociedade de fomento mercantil, sendo realizada a faturação no vencimento.

Nesse tipo de factoring, a empresa que cede o crédito não assumirá os riscos que existem nas dívidas do cliente. Ela apenas fica responsável pela cobrança das mesmas. Ou seja, se você tiver um crédito a receber com um determinado cliente, o factoring faz a cobrança, mediante o pagamento de uma taxa.

A grande vantagem desse tipo de serviço é que você não terá gastos com ligações para seus clientes devedores e não precisará disponibilizar pessoas para efetuar essas cobranças. Consequentemente, poderá reduzir o tempo gasto na análise de entradas e saídas e, como já mencionamos, passar par um terceiro a responsabilidade pela cobrança.

Trustee

O Trustee é um modelo de gestão financeira das contas a pagar e receber de uma empresa. Dessa forma, a empresa de factoring realiza a compra de títulos e fornece assessoria financeira às empresas que solicitaram esse serviço. Portanto, no Trustee, não ocorre compra de créditos com o objetivo de antecipação de dinheiro para as empresas.

Em outras palavras, esse tipo de factoring reúne as compras dos títulos para as assessorias administrativas e as financeiras das empresas que são fomentadas. Assim, além de comprar esses títulos e cobrar os respectivos clientes, a empresa que realiza esse serviço também administra e assessora as questões financeiras dela.

Exportação

Essa categoria de factoring envolve a exportação, seja ela de bens, seja de serviços. Nesse caso, ela é intermediada por duas empresas que exploram atividades de factoring. Ambas defendem os respectivos interesses daquelas que estão situadas em cada um dos países relacionados na transação.

Factoring com recursos

O factoring com recursos é aquele que ocorre quando o cliente, responsável pelo pagamento do débito, não consegue honrar com sua dívida no prazo estipulado. Assim, a contratante deverá pagar à empresa de factoring o valor que corresponde aquela parcela.

Factoring sem recursos

Por outro lado, a empresa de factoring que assume o risco da inadimplência oferece a modalidade que chamamos de factoring sem recursos. Dessa forma, caso o cliente não efetue o pagamento, a responsabilidade da cobrança será inteiramente dela.

Nesse sentido, caso seja necessário ingressar com ações judiciais, todo o custo ficará por parte da empresa de factoring. Consequentemente, esse tipo de serviço pode ter um custo maior.

Quando é recomendável optar por um factoring?

Para entender se a sua empresa necessita dos serviços de um factoring, você deve, primeiramente, conhecer a realidade da empresa. Afinal, o factoring cobra taxas de pelo serviço prestado.

Dessa forma, alguns critérios devem ser analisados pela sua empresa para determinar a real necessidade. Se depois de todos os fatores analisados, a conclusão é de que seu negócio está precisando desse dinheiro, a melhor opção é escolher esse recurso. Veja a seguir alguns pontos que devem ser analisados antes de contratar uma empresa de factoring.

O primeiro passo é analisar a liquidez da empresa, se ela é seca, imediata, corrente ou geral. Depois, é necessário conhecer a rentabilidade do seu negócio, sempre levando em consideração os investimentos e custos.

Outra questão importante é determinar os ciclos operacionais e financeiros, ou seja, qual o percurso que o dinheiro faz em sua empresa. Conhecer e projetar o fluxo de caixa para os próximos meses também é essencial.

Por último e não menos importante, é preciso conhecer os prazos para o recebimento e pagamentos de contas. A partir disso, determinar a necessidade de ter um bom capital de giro.

Assim, existem alguns motivos que indicam a necessidade de um factoring. Portanto, veja se a sua empresa se enquadra neles.

Minimizar os efeitos de uma crise econômica

Para as empresas que não se organizaram e a crise econômica acabou chegando sem avisar, um capital extra pode ajudar. Assim, o factoring pode ser uma forma de o negócio respirar um pouco durante esse período, garantindo a sua liquidez.

Fazer novos investimentos

Geralmente, quando as empresas estão pensando em fazer novos investimentos, o factoring pode ser uma boa escolha. Por isso, se o seu negócio encontrou uma oportunidade de investir, mas não possui capital suficiente, o factoring pode ajudar nessa nova empreitada.

Mas é sempre recomendável analisar os riscos e o retorno em médio prazo para fazer um bom negócio e não perder dinheiro.

Realizar o pagamento de empréstimos

Se a sua empresa está se afundando com o pagamento das taxas de juros de empréstimos bancários, o factoring pode ser uma boa alternativa. Com ele, seu negócio poderá quitar as dívidas provenientes de empréstimos e, assim, conseguir respirar e encontrar novas perspectivas de investimentos.

Negociar com fornecedores

Comprar grandes quantidades de produtos pagando à vista pode ser uma excelente opção para garantir descontos e aumentar os lucros da empresa. Por isso, adiantar aquele dinheiro proveniente de vendas a prazo de seus clientes pode ser uma forma de conseguir dinheiro para negociar com os seus fornecedores. Assim, tornar a empresa mais competitiva no mercado do seu segmento.

Como você pode perceber, é importante conhecer os tipos de factoring para adequar a modalidade às necessidades de sua empresa. Sendo assim, sempre tenha em mente que os recursos levantados com esse tipo de serviço devem ser aplicados nos objetivos que são pretendidos.

Gostou deste artigo? Que tal compartilhar essas informações em suas redes sociais? Mais pessoas terão acesso a esse conhecimento tão valioso.

Posts relacionados

Deixe um comentário