Por que há dificuldade de acesso ao crédito pelas empresas durante a pandemia?

O acesso ao crédito durante o período de pandemia não tem sido fácil para as empresas. Justamente nesse momento em que elas mais precisam de apoio financeiro, as instituições bancárias tradicionais não estão atendendo as suas necessidades.

O problema se torna ainda maior quando a empresa é classificada como micro ou pequena. Isso dificulta ainda mais a obtenção de linhas com juros mais baixos e prazos amplos para pagamento.

Existem alguns motivos para isso e soluções bastante criativas que você pode adotar. Confira quais são elas, neste artigo.

Como a pandemia impactou os empresários brasileiros?

Após a troca do Governo Federal, em 2019, o país começou a ganhar certo folego para se recuperar da crise financeira pela qual vinha passando. Ações de empresas alcançaram patamares históricos, e foram criados alguns dispositivos que facilitaram a vida do empreendedor.

A Lei da Liberdade Econômica foi um deles, entre outras ações envolvendo os estados e municípios. Mesmo com esse sutil crescimento, a nossa economia não foi capaz de suportar o impacto brutal que a pandemia do novo coronavírus gerou sem sofrer grandes perdas.

Além da questão da saúde pública e da vida de muitos brasileiros, que foi ceifada pela doença, também testemunhamos o desaparecimento de muitos negócios. Os mais impactados, sem dúvidas, foram os pequenos empresários.

Mesmo os que tinham reservas financeiras para se manter durante o período de recessão, tiveram problemas para arcar com todas as suas despesas quando esses recursos chegaram ao fim.

Consequentemente, tiveram que recorrer aos bancos atrás das linhas de crédito que foram criadas pelo Governo Federal durante o período de pandemia. Entre elas, o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). Entretanto, as coisas não ocorreram da forma que todos esperavam.

Quais as dificuldades enfrentadas por empresas para conseguir crédito?

Apenas para se ter uma ideia, segundo dados do jornal Estado de Minas, cerca de 35% dos empresários mineiros solicitaram empréstimos bancários no período da crise. Outros 49,8%, simplesmente, não conseguiram.

Essa situação se estende por todo o território nacional. Mesmo com o programa, ainda há uma dificuldade de fazer esse dinheiro chegar na mão do empresário que, efetivamente, precisa do recurso.

Um dos motivos para isso acontecer é uma questão burocrática de proteção das próprias instituições financeiras. Elas exigem a comprovação de faturamento, entretanto, esse elemento foi severamente prejudicado pela pandemia.

Uma pequena empresa que não dispõe de tecnologia e ferramentas de gestão para ter relatórios bem elaborados, por exemplo, não consegue ter o seu crédito aprovado, pois não tem dados para demonstrar aos credores.

Além disso, outra reclamação frequente dos empresários é que as condições oferecidas para o crédito emergencial no período de pandemia não são muito diferentes das demais opções. Elas têm taxas de juros abusivas e solicitam garantias exorbitantes para que o dinheiro chegue até as suas mãos.

Logo, essas empresas afetadas não conseguem ter acesso ao crédito, justamente, pelo fato de terem sido prejudicadas pela pandemia. O ministro da Economia, Paulo Guedes, admitiu que existem certas dificuldades para fazer todo esse dinheiro chegar na mão dos milhares de empresários espalhados pelo Brasil.

Entretanto, no final do mês de junho, foi publicada a noticia de que o Governo Federal ampliaria o crédito ao micro e pequeno empreendedor. O reforço anunciado seria de R$12 bilhões, a partir do dia 15 de agosto.

Quais são as soluções para esse problema?

Apesar de a situação parecer realmente desesperadora, existem algumas soluções para ela. Muitas já existiam antes da pandemia, mas graças à dificuldade extrema que as empresas estão encontrando para conseguir crédito com bancos e instituições financeiras tradicionais, essas modalidades ganharam mais força.

Empréstimos e financiamento com Fintechs

As Fintechs são empresas que fornecem serviços financeiros diferenciados para pessoas físicas e jurídicas. Entre seus principais benefícios, podemos destacar a facilidade e praticidade na solicitação de crédito e as taxas de juros mais atrativas.

Em muitos casos, inclusive, é possível executar toda a transação diretamente da internet, utilizando os canais de atendimento online da instituição. Com relação aos juros, como essas empresas não têm grandes estruturas físicas, seu custo de funcionamento é consideravelmente menor que o de um grande banco.

Consequentemente, seus juros e demais taxas são bem menores, favorecendo e facilitando o acesso ao crédito para o pequeno, médio e, até mesmo, grande empresário. Assim, é possível conseguir empréstimos e financiamentos de forma facilitada para atender às demandas que surgiram durante a pandemia de coronavírus.

Antecipação de recebíveis

Outra modalidade muito interessante, e que ganhou força nos últimos meses, foi a antecipação de recebíveis. Esse tipo de crédito é fornecido por bancos tradicionais e por Fintechs.

Entretanto, essas últimas têm algumas vantagens com relação às outras instituições. Entre elas, a praticidade e a baixa taxa de juros que já mencionamos.

Na antecipação de recebíveis, o empresário transfere à Fintech a responsabilidade pela cobrança de algum título. Isso dá a ele o direito de receber por determinado valor em uma data futura.

Assim, o empresário recebe o valor do seu título — abatendo determinado montante, que corresponde à taxa de juros na operação — para poder utilizar da forma que julgar melhor. A Fintech, por sua vez, aguarda o vencimento do boleto, duplicata ou nota fiscal para receber a integralidade do valor.

Caso isso não ocorra, ela se torna a responsável pela cobrança pelos métodos permitidos por lei. Além de ter a maior parte do dinheiro em seu caixa — podendo ser utilizado para aumento do capital de giro — o empresário não precisa se preocupar o pagamento mensal do empréstimo, já que ele será totalmente quitado quando o título for recebido pela Fintech.

Como você pode perceber, apesar dos problemas que as micro e pequenas empresas passam para ter acesso ao crédito durante o período de pandemia, ainda existem soluções mais criativas, modernas e acessíveis. Não deixe de consultar as dicas que viu neste post.

Se você quiser saber mais sobre essas e outras linhas de crédito, acompanhe nossas postagens seguindo os nossos perfis no Facebook, Instagram e Linkedin.

Um pensamento em “Por que há dificuldade de acesso ao crédito pelas empresas durante a pandemia?

  1. Busco credito com garantia em nosso histórico vendas nas maquininhas de cartão Cielo e Evo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *