liquidez financeira

Como uma empresa pode adquirir liquidez financeira?

Alcançar bons índices de liquidez financeira deve ser um fator primordial dentro de uma empresa, visto que esses indicadores demonstram a capacidade de honrar com os compromissos de curto, médio e longo prazo.

Eles são utilizados por diversas instituições para fornecer crédito, buscar investimentos e até mesmo para contratar órgãos da administração pública direta e indireta. A dúvida é como alcançar essa liquidez financeira em um empreendimento. Quer saber um pouco mais sobre o assunto? Então, acompanhe-nos nesta leitura!

O conceito de liquidez financeira

Em termos gerais, a liquidez é um conceito que determina a capacidade de um determinado ativo de gerar recursos financeiros na conta de um investidor. Enquanto a liquidez dos investimentos proporciona ao investidor o retorno do seu capital de forma imediata, quando se trata do âmbito empresarial, trata-se do resultado de sua atividade, possibilitando honrar com seus compromissos e a geração de lucros para os proprietários.

Os diferentes tipos

Existem diversos tipos de liquidez financeira e neste tópico mostraremos como funciona cada um deles. Inicialmente, é importante ter em mente que se tratam de indicadores que são extraídos das demonstrações contábeis de um negócio. Continue lendo!

Geral

A liquidez geral está atrelada à capacidade da empresa de honrar seus compromissos de médio e longo prazo. A utilização desse indicador é muito comum, pois mede o potencial de geração de resultados no futuro. O cálculo segue esta fórmula:

Liquidez geral = (ativo circulante + não circulante) / (passivo circulante + passivo não circulante)

Esse indicador utiliza todas as contas da empresa para chegar ao número desejado, que deve ser, preferencialmente, acima de 1.

Corrente

A liquidez corrente mede a capacidade de honrar com as contas de curto prazo. A gestão da empresa utiliza esse indicador como referência para a representação da saúde financeira, especialmente do seu caixa. O cálculo é feito mediante a aplicação da seguinte fórmula:

Liquidez corrente = Ativo Circulante / Passivo Circulante

Quanto ao resultado, é interessante que seja sempre maior que 1. Isso significa que, a cada R$ 1,00 de contas a pagar no curto prazo, existe R$ 1,00 para cobrir esse custo. Nesse caso, a operação da empresa nesses períodos seria como um “zero a zero”.

Seca

Esse conceito é comumente confundido com o anterior, afinal demonstra a mesma capacidade de honrar com compromissos de curto prazo. Entretanto, proporciona uma análise diferenciada, já que são excluídos do cálculo os saldos de estoque porque nem sempre essa rubrica estará diretamente atrelada à geração de receitas do empreendimento.

Assim, a liquidez seca demonstra ao gestor se a empresa é capaz de honrar com todos os compromissos de curto prazo mesmo que nenhum item de seu estoque seja vendido. A liquidez seca é calculada pela fórmula a seguir:

Liquidez seca = (ativo circulante – estoque) / passivo circulante

A eliminação do estoque do cálculo proporciona uma análise mais real da situação do ativo do negócio, afinal essa conta pode aumentar consideravelmente o valor do grupo, impactando o indicador. Apesar de ser mais aprofundado, é muito comum que ele seja solicitado em conjunto com os demais para uma análise mais abrangente.

Imediata

É um indicador extremamente conservador, representando a capacidade da empresa de honrar imediatamente com todos os seus compromissos utilizando apenas suas disponibilidades financeiras, ou seja, saldo em caixa, contas correntes e investimentos de curto prazo que tenham resgate imediato. É calculado com a seguinte fórmula:

Liquidez imediata = disponível / passivo circulante

Esse indicador, como se trata de um número que leva em consideração apenas os recursos líquidos da empresa, é muito solicitado por instituições financeiras na hora de conceder crédito, pois traduz a capacidade real do negócio de honrar com seus compromissos financeiros de forma imediata.

A liquidez financeira e a rentabilidade da empresa

A rentabilidade é outro indicador que pode ser analisado em conjunto com a liquidez. Ele pressupõe a geração de resultados que um empreendimento proporciona em sua atividade. Em muitos casos, o negócio não é rentável pelo simples motivo de os indicadores de liquidez estarem prejudicados.

Nesse sentido, uma atividade executada pelo empreendimento que é altamente rentável pode ser prejudicada pela má gestão financeira, a qual gera um grande volume de gastos e inviabiliza totalmente o avanço de seus resultados.

Por esse motivo, a rentabilidade deve ser analisada em conjunto com todos os indicadores que demonstramos e, caso seja detectado algum tipo de problema com eles — mesmo que seja apenas um —, é fundamental verificar o que pode ser feito para restaurar a liquidez do negócio.

Um método para adquirir liquidez financeira

Aumentar a liquidez financeira envolve melhorar a gestão de seus recursos e, principalmente, o controle de contas a pagar. Empreendimentos que têm muitos custos ou despesas que não estão vinculados à atividade em si podem ter problemas com seus indicadores, prejudicando diretamente a rentabilidade.

Sendo assim, o primeiro passo é cuidar da gestão financeira, controlando todo o dinheiro que entra e sai do caixa, analisando a necessidade de cada um dos gastos, bem como avaliando se existem valores que estão sendo desviados ou consumidos de forma desnecessária.

Em segundo lugar, é necessário avaliar os pagamentos recorrentes de empréstimos, financiamentos e outras modalidades que ocorrem com frequência. Em alguns casos, é possível obter linhas de crédito mais inteligentes e com juros baixos, possibilitando a quitação de muitos desses valores.

Consequentemente, os indicadores de liquidez aumentarão com essas práticas, impactando diretamente a rentabilidade do empreendimento, finalizando com o aumento no faturamento e lucro. Empresas que tomam esse cuidado gerenciam melhor suas finanças e alcançam diversos benefícios, como melhor visibilidade perante o mercado e instituições financeiras, possibilidade de contratação com entes públicos e atratividade de investimentos externos.

Por outro lado, se o seu negócio não tem bons indicadores de liquidez, é possível que tenha dificuldades para conseguir crédito com instituições financeiras e alguns fornecedores, o que pode ser muito prejudicial para as operações.

Por fim, podemos concluir que a liquidez financeira é um importantíssimo indicador e precisa ser acompanhado de perto, evitando que o negócio tenha patamares ruins que prejudicam a sua própria gestão ou a aquisição de recursos externos, sejam eles por meio de financiamento ou investimento de terceiros.

Se você gostou dessas informações, deixe um comentário logo abaixo e conte-nos sobre sua experiência nesse assunto.