transformação digital

Entenda os impactos da Transformação Digital no Mercado Financeiro

Não é nenhuma novidade que os avanços da tecnologia têm impulsionado o progresso de diversos segmentos do mercado e da sociedade. Empresas fundamentadas em inovação estão desenvolvendo soluções que proporcionam facilidades para o cotidiano de seus clientes, além de segurança e serviços mais ágeis.

Dado o contexto, vale destacar que a transformação digital no mercado financeiro também é uma realidade. Estratégias cada vez mais inteligentes têm sido tomadas para proporcionar uma experiência agradável aos consumidores, além da redução da burocracia nos processos e a facilitação para acesso a crédito, empréstimos e outros serviços básicos que, em bancos tradicionais, ainda oferecem obstáculos aos clientes.

Para que você entenda melhor como a transformação digital surgiu no mercado financeiro e de que forma o está impactando, preparamos este conteúdo especial. Quer saber mais sobre o assunto? Então, acompanhe a leitura para conferir!

O que é transformação digital?

Em primeiro lugar, precisamos contextualizar o que é transformação digital. Trata-se do conjunto de evoluções tecnológicas que têm provocado mudanças, não apenas em nossas vidas pessoais, mas em variados aspectos da sociedade. Isto é, mudanças que alteram a nossa rotina e a maneira como realizamos atividades e processos do dia a dia.

Em outras palavras, transformação digital é o uso da tecnologia para otimizar tarefas, atividades e procedimentos pessoais ou empresariais. Quando a inovação é promovida em um determinado setor, esse movimento resultará em uma série de otimizações em termos de tomada de decisões, facilidade de comunicação, redução de custos e, até mesmo, eliminação de tarefas desnecessárias.

Como funciona a transformação digital no mercado financeiro?

O setor financeiro foi fundamentado em interações humanas por décadas. Antigamente, os clientes de uma instituição bancária, por exemplo, só conseguiam realizar operações se fossem até as agências físicas para serem atendidos por funcionários e, somente então, poderiam acessar os serviços de que precisavam.

Após o surgimento da internet e sua popularização, diversos canais de atendimento foram criados para que os usuários se conectassem com seus bancos e tivessem muito mais autonomia para gerenciar suas finanças.

Em palavras, o âmbito digital permite que qualquer usuário acesse os mesmos serviços que só poderia encontrar em agências físicas, a qualquer hora e em todos os lugares, e de maneira muito mais autônoma. Isso tudo feito diretamente de seu computador, smartphone ou tablet. Esse, sem dúvida, é um dos grandes impactos sociais das fintechs.

Apesar do fato de que inúmeras soluções digitais já sejam realidade no cotidiano das instituições financeiras, é notável que a transformação está apenas começando. A cada dia, novas soluções estão por vir e a tendência é que mudem ainda mais os serviços como os conhecemos.

O que são fintechs?

Com base no contexto que abordamos no tópico anterior (popularização da internet e dos dispositivos móveis), um cenário ideal foi criado para que as tão faladas fintechs — companhias que baseiam seus serviços financeiros em tecnologia — pudessem oferecer ao consumidor moderno resultados em tempo real. Assim, reduzindo a burocracia dos processos e o tempo das operações, a qualquer hora e em qualquer lugar.

Um grande exemplo dessa mudança são os bancos digitais, que estão cada vez mais populares. Está se tornando comum pagar contas, fazer transferências e gerar boletos pela internet, por meio de aplicativos para smartphones, e sem pagar taxas por isso.

Para que não sejam ultrapassados por seus novos concorrentes, os bancos tradicionais estão investindo em formatos mais atuais. Por isso, têm procurado maneiras de adaptar seus serviços ao contexto da transformação digital no mercado financeiro.

Por exemplo, o InoBra lançou um espaço que tem como finalidade promover a colaboração entre investidores, organizações e startups para desenvolver novos modelos de negócios. Já o Bradesco criou o banco digital Next.

Como ocorreu o processo de transformação digital no mercado financeiro?

Como já foi mencionado, a transformação digital no mercado financeiro se deve a dois fatores em específico: a popularização da internet e a conquista de espaço que os smartphones alcançaram entre a nova geração de consumidores ativos.

Os dispositivos móveis já estão integrados à rotina das pessoas, de forma que é muito difícil viver sem eles, já que eles oferecem recursos como:

  • agenda de compromissos;
  • lembretes de tarefas;
  • aplicativos de troca de mensagens;
  • aplicativos para pedir comida.

Foi nesse contexto que as fintechs começaram a se desenvolver, já que trouxeram uma série de inovações para o mercado financeiro. O Nubank, por exemplo, ganhou popularidade pelo fato de oferecer ao consumidor um serviço eficiente, com custos baixos para o usuário.

O indivíduo pode solicitar um cartão de crédito que, se for aprovado, é enviado diretamente para sua casa. O pedido é realizado diretamente do aplicativo da empresa. Ele também pode alterar o limite de crédito e fazer pagamentos da fatura antes do prazo previsto.

Isto é, o usuário decide o que fazer em relação aos seus gastos e conta com uma plataforma intuitiva e com interface amigável para que tenha todas as suas demandas atendidas. Não é por coincidência que, a cada dia, você se depara com menos jovens em agências bancárias. Afinal, eles passaram a ter suas necessidades atendidas pelos bancos digitais.

Quais as consequências que a transformação digital tem causado no mercado financeiro?

Não há dúvida de que, com a chegada das facilidades que as fintechs têm trazido para o setor, uma das maiores consequências que o mercado o financeiro tem experienciado com a transformação digital é a migração dos consumidores dos bancos tradicionais para os digitais.

Por oferecer todos esses benefícios, tanto para pessoas jurídicas quanto físicas, muitas empresas que unem processos tecnológicos e financeiros estão conquistando terrenos que, antes, pertenciam somente às grandes corporações bancárias.

Aspectos como a redução da burocracia, taxas de juros mais justas, autonomia para os clientes administrarem suas contas e cartões de crédito sem anuidade, são apenas alguns dos pontos que a transformação digital trouxe para o mercado financeiro. O que já pode ser considerado uma revolução.

Quais são os principais impactos da transformação digital no mercado financeiro?

Agora que você já tem uma perspectiva mais ampla sobre o assunto, mostraremos os principais frutos que o mercado financeiro está colhendo, graças à transformação digital no segmento.

Inteligência artificial e OCR

Antigamente, a tarefa de conferir e validar documentos poderia ser demorada e trabalhosa. Mas com a presença de tecnologias como a Inteligência Artificial (IA) e o Reconhecimento de Caracteres Óticos, conhecido pela sigla OCR, é possível verificar a identidade de um cliente de maneira automatizada, ágil e segura, já que o sistema é capaz de reconhecer se a documentação é verdadeira.

Por exemplo, com essa tecnologia, uma foto tirada pelo smartphone e enviada na hora pode ser comparada com fotos cadastradas no banco de dados. O sistema apontará se o CPF informado pelo usuário é compatível com o que consta nos registros.

Essa validação de informações pode ser realizada diretamente de computadores ou dispositivos móveis que tenham o aplicativo da empresa instalado. O processo dura cerca de cinco segundos.

Essa solução não apenas agiliza o processo de conferência de documentos, como também ajuda a combater fraudes, pois mapeia e a classifica comportamentos fraudulentos — e tem um custo menor —, o que é ótimo para garantir o crescimento de empresas do ramo financeiro.

Automação de serviços com chatbots

Você já ouviu falar sobre chatbots? São sistemas desenvolvidos para simular conversas com pessoas de maneira humanizada. No setor de atendimento ao cliente, essa tecnologia está se consolidando a cada ano, pelo fato de melhorar o relacionamento com os usuários, tornando a comunicação mais ágil e fácil.

Por meio desses “robôs de conversação”, os clientes podem realizar todo o tipo de operação financeira, como saques, consulta de saldos e até empréstimos. Para que você tenha uma ideia, o Banco do Brasil permite que seus clientes façam saques de dinheiro sem cartão diretamente do Whatsapp.

Ao entrar em contato com o serviço, o chatbot pergunta ao usuário o valor da transação e informa um código, que deve ser digitado no caixa eletrônico para confirmar a retirada.

Internet das Coisas

Nessa era em que vivemos, o setor financeiro ainda passará por grandes transformações. Há uma forte tendência de que os serviços e o atendimento evoluam significativamente nos próximos anos, proporcionando ainda mais possibilidades de personalização dos serviços e facilidades aos usuários.

A Internet das Coisas é uma tecnologia que permite que objetos físicos sejam conectados à internet. No meio financeiro, ela já tem possibilitado que transações sejam realizadas com muito mais agilidade, como pagamentos sem uso de cartões ou dinheiro em espécie.

Open Banking

De maneira simplificada, Open Banking consiste em uma Interface de Programação de Aplicações, ou API, como também é conhecida, que é disponibilizada por empresas do setor financeiro. Sua principal finalidade é permitir a criação de modelos de negócios digitais, disponibilizando seus serviços para aplicativos de terceiros ou outras empresas.

Em outras palavras, Open Banking é uma das grandes tendências que a transformação digital trouxe para o setor e acabou ganhando destaque depois que órgãos regulamentadores europeus ordenaram que organizações financeiras compartilhassem informações de seus clientes com outras empresas. Pense em uma empresa como a Netflix que, graças à sua API, permite que o serviço de streaming seja integrado às smartTVs e em dispositivos móveis, por exemplo.

Melhoria no atendimento ao cliente

O atendimento ao cliente é um dos pontos que desafiam o crescimento de empresas de variados portes e segmentos do mercado. Felizmente, graças à transformação digital, tanto as fintechs quanto os bancos tradicionais estão otimizando os seus serviços nesse âmbito.

Para que você tenha uma ideia, em 2017, o Banco do Brasil fechou mais de 400 agências físicas, redirecionando seus clientes para os canais de atendimento online.

Por meio do app do internet banking, os usuários conseguem conversar com o gerente da agência com a finalidade de resolver problemas e esclarecer dúvidas. Isso garante muito mais agilidade no atendimento e evita deslocamentos desnecessários até o estabelecimento.

Como mencionamos anteriormente, o uso de chatbots também tem promovido melhorias imensuráveis para as empresas em termos de comunicação com o cliente. Os índices de satisfação em relação ao atendimento têm aumentado.

Blockchain

Um dos impactos da digitalização é o fato de que estamos caminhando em direção aos sistemas de arquitetura aberta. Dado o contexto, o Blockchain trará formas autônomas para que as transações sejam concluídas.

A questão é: conforme nos tornamos mais digitalizados e automatizados no que se diz respeito ao back-end e front-end, passa a ser mais importante poder contar com meios de rastrear as transações financeiras de modo autônomo.

Por exemplo, as criptografias foram desenvolvidas como uma espécie de moeda de troca e, ao mesmo tempo, um ambiente seguro para armazenar ativos, sem a dependência de um banco central. Estamos nos referindo às criptomoedas, que só se tornaram possíveis por conta da tecnologia Blockchain.

Na indústria financeira, essa moeda tem grande potencial, principalmente no ambiente pós-comercial. A Blockchain permite que um registro de propriedade seja imutável, o que garante transparência, segurança e eficiência na manutenção das posições e na reconciliação. Isto é, os valores podem ser movidos de maneira simples e rápida.

Já no que se diz respeito à liquidação, a Blockchain permite que diversos serviços sejam realizados simultaneamente, incluindo, por exemplo:

  • transferências de títulos;
  • gestão de pagamentos;
  • gestão de dinheiro;
  • facilitação de acordos e garantias de títulos e empréstimos.

Quando se fala em transformação digital no mercado financeiro, o papel da Blockchain está relacionado a reduzir riscos e aumentar a transparência e eficiência das operações. O fato de ela ser ideal para o rastreamento, permite, ainda, melhorias na geração de relatórios e em auditorias.

Contudo, antes que o mercado de criptografia atraia uma escala de investidores mais massiva, ainda é preciso que haja uma regulamentação maior, para que muitos dos projetos atinjam todo seu potencial.

Como você pôde contemplar neste conteúdo, a transformação digital no mercado financeiro é uma realidade que já se faz presente há alguns anos, influenciando consumidores e empresas a mudarem a forma como se relacionam. Além disso, mostramos como seus impactos oferecem ótimos indicadores financeiros para as organizações e comodidades para os clientes.

Este conteúdo foi útil para você? Então, não deixe de compartilhá-lo nas redes sociais com seus amigos e familiares para propagar o conhecimento!

2 pensou em “Entenda os impactos da Transformação Digital no Mercado Financeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *